22 agosto, 2011

Sertão




Como pode
Ser tão sofrido
Ser tão difícil
Ser tão esquecido

Mas Ser tão forte
Ser tão valente
Ser tão aconchegante
Ser tão nostálgico
Ser tão quente
De tanto amor, humildade, simplicidade

Não tinha como não Ser tão apaixonado.



19 agosto, 2011

Eu Saudade

Tenho saudade
Vivo saudade
Sou saudade

Do passado
De daqui a pouco
Do que nunca chegou a vir

A saudade já foi vermelha
Chegou a sangrar
Pesou
Choveu

A saudade, depois, ficou laranja
Já não doía tanto
Sentimento de pôr-do-sol

A saudade agora é amarela
Bela manhã ensolarada

14 agosto, 2011

Em Paz


Vivo!

Contido

Retido

Limitado ao universo do que sou.

E vou leve

Sem aperreio

Sem agonia

Leve

Pois já não tenho mais medo de ser eu!

09 agosto, 2011